sexta-feira, 28 de outubro de 2016

Abraham - Workshop Denver_Colorado - 20/06/2015 Convidado 2



Convidado 2: Eu realmente tenho ouvido vocês ajudarem as pessoas a encontrar sintonia, e o que acontece é que elas estão felizes em 95% do tempo, mas eu não estou nem perto. Eu sinto que se eu fizer esse trabalho, eu estarei mais e mais em contato com o que realmente sinto, você sabe, é tipo como se eu pudesse me preencher, e posso ver que está acontecendo, e eu oh!

Abraham: Isso está certo, manifestações são maravilhosas, e existem dois jeitos de você perceber o que está fazendo com sua lacuna, há duas maneiras de saber como você pensa que está em relação a tudo o que se tornou, e tudo o que você quer, ou como os outros pensam que você está.
Uma é do jeito que você está se sentindo, o que está acontecendo, e a outra é o que está se tornando coisas, tornando-se manifestações. Se coisas que você não quer estão se manifestando, você está dando atenção a coisas indesejadas, e essas coisas não desejadas que estão se manifestando agora mesmo, quando você olha para elas, dá uma emoção que você deveria reconhecer, como uma emoção bem familiar. 

Convidado 2: Sim.

Abraham: Então, quando você olha para alguma coisa e sente uma emoção, e você diz oh...isso é uma emoção familiar...então sua lógica diz a você, e isso está lhe mantendo consistentemente naquela vibração, essa é a razão de esses pensamentos se tornem coisas. 

Convidado 2: O que estou querendo saber é o que eu vejo vocês fazendo...

Abraham: E toda vez que nós lhe interrompemos, é um novo presente de esclarecimento para você, nunca é uma punição sobre seus pensamentos errados. É só uma afirmação dos seus pensamentos, não é um julgamento sobre seus pensamentos estarem certos ou errados, é só uma constatação do que seus pensamentos são. E se você não gosta do que eles estão se torando, apenas pense pensamentos diferentes. Mas não é tão fácil fazer. Especialmente quando está parado no meio da situação. Você tem que fazer logo no começo da manhã antes que o momentum passe, você quer meditar mais e aquietar sua mente, quer encontrar as coisas que mais facilmente lhe fazem se sentir bem, e se focar mais nelas, você tem que sair do modo de solucionar problemas, desista, isso é o modo como os humanos justificam sua existência, isso nunca funciona, por isso desista. Substitua seu modo de solucionador de problemas pelo seu modo de apreciação. Isso vai lhe servir melhor. Nós estamos ouvindo os detalhes.

Convidado 2: Não são tantos detalhes, o que eu amo em outras pessoas é o quanto vocês conseguiram sintonizá-las, quando você pega um assunto e apenas gentilmente e com tanto cuidado as leva a um lugar, em que a gente sente o que vocês estão falando. E eu posso sentir isso, eu sinto como se eu fosse um caçador de tesouros e mesmo as coisas que estão me desafiando, ah ok, tudo bem...eu vejo que tem coisas em que eu tenho que fazer a sintonização certa, mas eu realmente amo o jeito que você faz isso com as pessoas. 

Abraham: Nós estamos felizes em fazer isso e gostaríamos de fazer com você se você quiser nos ouvir. Nós queremos dizer algo realmente importante para a sequência dessa conversa. É uma coisa que temos falado muito recentemente e é sobre a diferença entre a condição que evoca uma resposta emocional, e uma vibração menos ativa, sobre a qual você tem mais controle, em outras palavras, há mais momentum nas coisas que estão começando a se manifestar. Então, na ideia de transformar pensamentos em coisas, se você começar antes no processo há menos resistência, menos empolgação também, mas menos resistência. Entende o que estamos falando? Algumas vezes, todas as vezes, pessoas dizem: se isso fosse diferente eu me sentiria muito melhor, se essa pessoa fosse diferente eu me sentiria muito melhor. E nós não questionamos isso, nós sabemos, nós concordamos que se você está olhando para uma coisa diferente, como se você tivesse um amigo que dissesse, se essa pessoa é diferente, ele é perfeito.

Nós entendemos que a condição é algo que chama sua atenção e então, amor condicional diz: precisa modificar essa condição para que quando eu olhar para ela, eu tenha uma resposta que me faça sentir bem. Amor incondicional é, não importa a condição, vamos retornar à condição e encontrar a essência que tenha menos momentum e que seja mais fácil para eu encontrar alinhamento. No progresso de vibrações tornarem pensamentos, se tornarem coisas, se tornarem encontros, experiências, coisas, nesse processo de evolução, na evolução do tornar-se, aqui onde a emissão está, onde os pensamentos estão fluindo e as emoções os seguem, instantaneamente, nós queremos chamar isso de incondicional, só por enquanto, porque isso não é uma condição, isso é só uma ideia, apenas uma emoção sobre uma ideia. E todos vocês quando estão criando relacionamentos ou impérios financeiros, a maioria de vocês, tudo foi feito antes que o primeiro tijolo fosse assentado, ou antes que as primeiras palavras fossem trocadas. Porque essa realidade vibracional foi criada e todo poder aconteceu, e quando você começa a se envolver, a se misturar com isso, dando sua atenção aos detalhes que vocês não gostam...se você conseguir ficar incondicional, mais emocional, e nós por enquanto queremos chamar o estado emocional de estado incondicional.

O que você está pedindo é: “Abraham, por favor me apresente uma série de imagens que eu possa focar, para que eu possa me sentir melhor”. E nós dissemos, isso é uma pré-condição, porque você quer que criemos algo para que responda a isso. Mas o que nós queremos é que você cuide tanto do se sentir bem que você realmente vai olhar em volta e vai encontrar isso. E o que isso significa, isso é o mais importante dessa conversa, o que isso significa é que você vai encontrar um modo de se alinhar, assim como Esther fez, nos nove meses em que ela meditou. Ela pôde sentir quando a mente dela estava querendo saber e a conexão ainda não estava lá, e ela pôde sentir quando ela aquietou a mente e essa conexão estava um pouco mais forte, e ela pôde sentir quando ela estava em maior harmonia com algo que a fez se sentir bem, ela pôde sentir a antecipação; você sempre pode sentir seu alinhamento com o que você quer, mas precisa ouvir um pouco e sentir e sintonizar, antes que seja capaz de fazer isso.

Essa realmente é a aproximação mais efetiva, então o que nós vemos é que muitos de vocês, estão tentando tanto causar um sentimento bom, que vocês estão tentando controlar mais coisas que não podem, e ao invés disso, se sentindo piores quando deveriam se sentir bem. Isso exige deixar ir e confiar, e isso exige entender o Processo dos 3 Passos: você já pediu, já está no Vórtice, e isso já é uma realidade, e se puder apenas aceitar isso, isso está feito, já está pronto para você, está pronto. Você pediu, a Fonte respondeu, e a Lei da Atração está juntando todos os componentes colaborativos, está feito, está lá, está feito, está lá, está feito, está lá. Então, você não tem que se manter criando situações de permissão, tudo o que tem que fazer é desligar-se, e ir para um lugar onde esteja num modo receptivo, onde as ideias ocorrem para você. Talvez uma ideia de ir para lá, ou para cá, talvez um sentimento de OH! Eu tive a melhor ideia! E seus amigos dizem: você sabe de onde ela veio?

Você sabe de onde ela veio, ela veio do seu Vórtice, é uma ideia que você recebeu, você se permitiu ser o recebedor dela. E não existe nada no Universo mais delicioso, ser o recebedor de toda essa clareza, a sua própria criação, que você colocou lá, porque você terminou isso, completamente, você terminou. Você colocou isso lá e agora isso é uma realidade, é incondicional, é incondicional. Você vai começar a ficar em expectativa com o incondicional.
Alguém vai dizer o que você deveria fazer...Esther começou a dizer, todos os dias serão dias de contemplação, e os Abraham dizem: sério? Porque isso não é o que eles veem quando olham a realidade de Esther. Ela raramente está calma, ela quase nunca está quieta, mas ela está em contemplação, em outras palavras, ela quer se sintonizar e ela quer seguir o conhecimento dela, interessante...ela quer seguir aquele sentimento. E quando vem a ideia: “vou telefonar para essa pessoa, eu vou escrever para ele, ou vou por aqui, ou acho que vou fazer isso”, esses pensamentos que vem e vão são direcionados, porque são sempre certos. Seu Ser Interior sabe onde você está em relação a tudo que quer e sabe o caminho da menor resistência, vamos falar então claramente, sabe qual caminho para levar você até lá mais rapidamente, desistindo da resistência que você mantém, vamos falar claramente, ele sabe qual a coisa mais lógica que você pode agarrar devido ao seu nível de resistência a esse tópico; você não gosta disso?
Não dizendo: nós vamos esperar até que seja seu tempo de limpar seu caminho e chegue diretamente lá, não. Informação constante, que você está traduzindo através de suas lentes, que são claras ou nebulosas. E conforme você confiar nisso, e começar a perceber como esse impulso pode ser maravilhoso, mesmo se ele não leve diretamente ao que pense que queira, com certeza eu tenho uma conversa agradável, com certeza eu pego as melhores partes da informação, a melhor parte da revelação, e isso não é o que a vida deve ser? Uma constante revelação? 

Você acha que, você gostaria de fechar os olhos e se tele transportar de um lugar para outro, você acha, nós já ouvimos Esther falando de vez em quando: “me leve para lá...não me faça dirigir, não me faça empacotar, novamente, não me faça levar as malas ao aeroporto, não me faça puxá-las até o outro lado da rua, não me faça passar pela segurança...” e nós dizemos: você não ama isso? Entrar no carro e sair, você não ama as rodinhas na sua mala, você não ama o aeroporto maravilhoso que foi criado, você não ama se relacionar com isso e aquilo e aquilo? Você realmente não quer se tele transportar, não quer ir para o seu destino final, não quer. Você quer a experiência de fluir, quer deixar que o Universo lhe mostre como você é bom quando segue o caminho da menor resistência, no deleite, deixando ir, sem hesitação, compreendendo, então você se agarra a todas as coisas boas que a vida deu a você, isso é o que a vida é, não é ficar de um lugar para outro e outro. Mas tendo isso e tendo aquilo, é o processo de abrir-se à sua genial habilidade de sintonizar com o que é incondicional e moldá-lo dentro da condição, e então revelar, em todas as coisas que trouxe de lá.

Oh! Isso é o que você realmente começa a apreciar. O que está se manifestando em sua experiência, a delícia de estar em cada parte do caminho e reconhecer o gênio, e o amor, e o cuidado, e a benevolência da Fonte. E a precisão de sua permissão e recepção, isso é o que criação é. Não provar nada para ninguém, apenas vivendo feliz para sempre, em cada passo do caminho, e saboreando cada pedaço dele. Ajudou?

Convidado 2: Oh sim...então os sonhos que eu tenho realmente estão lá, não estão?

Abraham: Eles estão frequentemente, mas não sempre, com menos resistência enquanto você está adormecida, você certamente está com menos resistência, está num modo receptivo melhor no seu estado de sonho do que quando está ativo. 


Convidado 2: Eu não estou falando de sonhos quando eu estou dormindo, mas sonhos que eu quero trazer para minha vida.

Abraham: Bom, mas estamos falando sobre seu Vórtice. Isso é o que seu Vórtice é, são seus sonhos, suas realidades, a realidade que ainda não se manifestou. Você tem que saber que essa realidade é suficiente para tocar seus sinos, e se não estiver tocando seus sinos não toque nela.

Convidado 2: Porque às vezes eu sinto, eu não quero falar muito disso, mas alguma coisa ao longo do caminho disse, ah! Isso não pode acontecer, então não sonhe com isso. Então o que eu quero saber é abrir...

Abraham: Bem, tudo o que nós dissemos para você é sobre isso. Em outras palavras, não importa o que você tem feito, você sabe mais de alguma coisa hoje do que soube antes. Você está diferente agora por causa dessa conversa que estamos tendo há uma hora. Você está diferente justamente agora, você está numa frequência vibracional diferente, seu ponto de atração é diferente, você está diferente para o Universo, seu caminho de menor resistência está se tornando menos resistente, seu caminho de maior permissão está se tornando mais permissor, você está no maior modo receptivo que jamais esteve.  Não volte e regurgite aquelas velhas declarações sobre coisas que não se aplicam mais agora.

Essa é uma boa hora para o intervalo.

Abraham
Tradução: Adri Silveira e Denise Garcia


segunda-feira, 10 de outubro de 2016

Neville Goddard 1948 Lições - Lição Quatro



Ninguém para Mudar
Somente Si Mesmo


Posso levar apenas um minuto para esclarecer o que foi dito na noite passada.

Uma senhora sentiu do que eu disse na noite passada, que eu sou contrário a uma nação. Eu espero não ser contrário a qualquer nação, raça ou crença. Se por ventura eu usei uma nação, foi apenas para ilustrar um ponto.

O que tentei dizer foi isso – nos tornamos o que contemplamos. Pois essa é a natureza do amor, como é a natureza do ódio, para nos transformar naquilo que contemplamos. Na noite passada eu simplesmente interpretei um novo item para mostrar a vocês que, quando tentamos destruir nossa imagem quebrando o espelho, estamos apenas enganando a nós mesmos. Quando, por meio da guerra ou revolução, destruímos títulos que para nós representam arrogância e ganância, tornamo-nos no tempo, a personificação daquilo que pensamos que havíamos destruído. Então hoje as pessoas que pensavam ter destruídos os tiranos, são eles mesmos o que pensavam ter destruído.

Para que eu não seja mal interpretado, deixe-me novamente lançar a base deste princípio. Consciência é a única realidade. Nós somos incapazes de ver o que não seja o conteúdo de nossa própria consciência.

Portanto, ódio nos trai na hora da vitória e nos condena a ser aquilo que condenamos. Todas as conquistas resultam em uma troca de características, de modo que o conquistador se torna como o conquistado. Nós odiamos os outros por causa do mal que está em nós mesmos. Raças, nações e grupos religiosos tem que nos mudar para a semelhança daquilo que contemplamos.

Nações agem em relação a outras nações como os cidadãos agem em relação uns aos outros. Quando há escravidão em um estado e esta nação ataca uma outra, é com a intenção de escravizar. Quando há uma competição econômica acirrada entre os cidadãos, estão em guerra com outra nação, o objeto da guerra é destruir o comércio do inimigo. Guerras de dominação são provocadas pela vontade daqueles que, dentro de um estado, são dominantes sobre o destino dos restantes.

Nós irradiamos o mundo que nos cerca pela intensidade da nossa imaginação e sentimento. Mas neste mundo tridimensional nosso tempo tem ritmo lento. E assim nós nem sempre observamos a relação entre o mundo invisível e nossa natureza interior.

Agora isso é o que eu realmente quis dizer. Eu pensei ter dito isso. Que eu não possa ser mal interpretado. Este é o meu princípio. Você e eu podemos contemplar um ideal, e nos tornarmos apaixonados por ele.

Por outro lado, podemos contemplar algo que sinceramente não gostamos, e ao condenar, nos tornamos isso.  Mas por causa da lentidão do tempo neste mundo tridimensional, quando nós nos tornamos aquilo que contemplamos, nos esquecemos que antigamente nos propusemos a adorá-lo ou destruí-lo.


As histórias:
A lição de hoje é a pedra angular da Bíblia, então me dê sua atenção. A mais importante questão na Bíblia é encontrada no capítulo 16 do Evangelho de Matheus.
Como vocês sabem, todas as histórias da Bíblia são suas histórias; seus personagens vivem apenas na mente do homem. Elas não fazem referência a qualquer pessoa, que tenha vivido no tempo e espaço, ou a qualquer evento que tenha ocorrido na Terra.

O drama relatado em Matheus ocorre quando Jesus se volta a seus discípulos e pergunta: “Quem dizem os homens ser o Filho do homem? Matheus 16:13.
“E eles disseram: Uns, João o Batista; outros, Elias; e outros, Jeremias, ou um dos profetas. Disse-lhes ele: E vós, quem dizeis que eu sou? E Simão Pedro, respondendo, disse: Tu és o Cristo, o Filho do Deus vivo. E Jesus, respondendo, disse-lhe: Bem-aventurado és tu, Simão Barjonas, porque não revelou a carne e o sangue, mas meu Pai, que está nos céus. Pois também eu te digo que tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha igreja, e as portas do inferno não prevalecerão contra ela” Mateus 16:14-18.

Jesus voltando-se para seus discípulos é um homem se voltando à sua mente disciplinada na auto-contemplação. Você se faz a pergunta: "Quem dizem os homens que eu sou?" Em nossa língua, "Eu me pergunto, o que os homens pensam de mim?"
Sua resposta, “Alguns dizem que João volta novamente, alguns dizem Elias, outros dizem Jeremias, a outros ainda que o antigo Profeta volta novamente. ”

É muito lisonjeiro para dizer que você é, ou como se assemelha, aos grandes homens do passado, mas a razão iluminada não é escravizada pela opinião pública. Ele só se preocupa com a verdade por isso pede-se uma outra questão, "Mas vós, quem dizeis que eu sou?" Em outras palavras, "Quem sou eu?"
Se eu sou ousado o suficiente para assumir que eu sou o Cristo Jesus, a resposta vai voltar, "Tu és Cristo Jesus."
Quando eu puder assumir isso e audaciosamente viver isso, eu direi a mim mesmo: “Carne e sangue não podem me explicar isso. Mas meu Pai que está no Céu, revelou-se em mim”. Então eu faço este conceito de Ser a rocha sobre a qual eu estabelecerei a minha igreja, meu mundo. "Se não crerdes que Eu sou Ele, morrereis nos vossos pecados." João 8:24.

Porque a consciência é a única realidade, devo assumir que eu já sou o que eu desejo ser. Se eu não acredito que já sou o que eu quero ser, então eu permaneço como eu sou e morro nesta limitação.
O homem está sempre procurando por algum sustentáculo para se inclinar. Ele está sempre procurando uma desculpa para justificar o fracasso. Essa revelação não dá ao homem desculpas para o fracasso. Seu conceito de si mesmo é a causa de todas as circunstâncias de sua vida. Todas as mudanças primeiro devem vir de dentro de si; e se ele não mudou no externo, é porque não mudou dentro de si. Mas o homem não gosta de sentir que ele é o único responsável pelas condições de sua vida.
"Desde então muitos dos seus discípulos voltaram para trás e já não andavam com ele."
"Então disse Jesus aos doze: Quereis vós também retirar-vos?" "Então Simão Pedro respondeu-lhe: Senhor, para quem iremos nós? Tu tens as palavras da vida eterna "João 6: 66-68.

Eu posso não gostar do que acabei de ouvir, que eu devo voltar para minha própria consciência como a única realidade, a única base sobre a qual todos os fenômenos podem ser explicados. Era uma vida mais fácil quando eu podia culpar o outro.
Era uma vida muito mais fácil quando eu podia culpar a sociedade para os meus males, ou apontar um dedo através do mar. E culpar outra nação. Era uma vida mais fácil quando eu podia culpar as condições meteorológicas pelo que eu sinto.

Mas me dizer que eu sou a causa de tudo o que acontece comigo, que eu estou eternamente moldando meu mundo em harmonia com minha natureza interior, isso é mais do que o homem está disposto a aceitar.
Se isso for verdade, a que eu deveria ir? Se estas são as palavras da vida eterna, eu devo retornar a elas mesmo que pareçam difíceis de digerir.
Quando o homem entende isso completamente, ele sabe que a opinião pública não importa, para dizer a ele quem ele é.
O comportamento do homem constantemente me diz quem eu tenho que conceber a mim mesmo para ser.

Se eu aceitar esse desafio e começar a viver por ele, eu finalmente chego ao ponto em que é chamado de a grande oração da Bíblia. Ela é contada no capítulo 17 do Evangelho de São João, "Acabei a obra que me deste a fazer." João 17: 4.
“Agora, pois, glorifica-me tu, ó Pai, junto de ti mesmo, com aquela glória que eu tinha contigo antes que o mundo existisse. João 17: 5
“Enquanto eu estava com eles, eu os guardava no teu nome que me deste; e os conservei, e nenhum deles se perdeu, senão o filho da perdição. ” João 17: 12.

É impossível para qualquer coisa estar perdida. Nesta economia divina nada pode ser perdido, não pode sequer passar. A pequena flor que floresceu uma vez, floresce para sempre. É invisível para você aqui com o seu foco limitado, mas ela floresce para sempre na maior dimensão do seu ser, e amanhã você vai encontrá-la.
Tudo o que tu me deste eu tenho mantido em teu nome, e ninguém tem que salvar o filho da perdição. O filho da perdição significa simplesmente a crença na perda. Filho é um conceito, uma ideia. Perdido é a perda. Só tenho realmente que perder o conceito de perda, pois nada pode ser perdido.
Eu posso descer da esfera onde a coisa em si agora vive, e como eu desço em consciência para um nível dentro de mim mesmo, isso passa através do meu mundo. Eu digo: "Eu perdi minha saúde. Perdi a minha riqueza. Perdi a minha posição na comunidade. Eu perdi a fé. Perdi mil coisas. "Mas as coisas em si, depois de terem sido reais no meu mundo, não podem deixar de ser. Elas nunca se tornam irreais com a passagem do tempo.

Eu, por minha descida de consciência a um nível inferior, causo essas perdas aos meus olhos, e eu digo, "Elas se foram; elas estão acabadas, tanto quanto o meu mundo vai. "Tudo que eu preciso fazer é subir até o nível onde elas são eternas, e mais uma vez elas irão objetivar-se e aparecer como realidades dentro de meu mundo.
O ponto crucial de todo o capítulo 17 do Evangelho de São João é encontrado no versículo 19: "E por causa deles eu me santifico, para que também eles sejam santificados na verdade."

Até aqui eu pensei que poderia mudar os outros através do esforço. Para modificar alguém dentro do meu mundo, eu tenho que mudar meu conceito deste outro; e fazendo isto bem, eu mudo meu autoconceito. Pois foi o auto-conceito que eu mantive, que me fez ver os outros como eu vi.
Tendo eu um nobre e digno conceito sobre mim, eu nunca poderia ver o desagradável nos outros. Em vez de tentar mudar os outros através da argumentação e da força, deixe-me apenas ascender em consciência a um nível mais alto, e eu vou mudar automaticamente os outros mudando a mim mesmo.

Não há ninguém a mudar exceto a si mesmo; esse si mesmo é simplesmente sua consciência, sua percepção, e o mundo no qual vive é determinado pelo conceito que tem de si mesmo.
É à consciência que devemos nos voltar como a única realidade. Pois não há nenhuma concepção clara da origem dos fenômenos, exceto que a consciência é tudo e tudo é consciência.

Você não precisa de ajudante para produzir o que você busca. Não acredite nem por um segundo que eu estou defendendo a fuga da realidade quando eu peço para, simplesmente, assumir que você é agora o homem ou a mulher que você quer ser.
Se você e eu pudermos sentir como seria, sermos agora o que queremos ser, e vivermos nessa atmosfera mental como se isso fosse real, então, por um caminho desconhecido para nós, nossa pretensão se manifestaria de forma real. Isto é tudo o que precisamos fazer, a fim de ascender para o nível onde a nossa pretensão já é um objetivo, realidade concreta.
Eu não preciso mudar ninguém, eu me santifico e ao fazê-lo eu santifico os outros. Para os puros todas as coisas são puras. “Nenhuma coisa é de si mesma imunda, a não ser para aquele que a tem por imunda; para esse é imunda”. Rom. 14:14.

Não há nada em si mesmo impuro, mas você, pelo seu conceito de si mesmo, vê as coisas limpas ou sujas.
"Eu e meu Pai somos um." João 10:30.
“Se não faço as obras de meu Pai, não me acrediteis. Mas, se as faço, e não credes em mim, crede nas obras; para que conheçais e acrediteis que o Pai está em mim e eu nele”. João 10:37, 38.
Ele fez a si mesmo um com Deus, e não achava estranho ou um roubo, fazer as obras de Deus. Você sempre suporta o fruto em harmonia com quem você é. É a coisa mais natural do mundo para a árvore de peras suportar as peras, e a macieira suportar as maçãs, e para o homem moldar as circunstâncias de sua vida em harmonia com sua natureza interior.
Eu sou a videira, vós os ramos”. João 15:5

Um ramo não tem vida, a não ser enraizado na videira. Tudo o que eu preciso para mudar o fruto é mudar a videira.
Você não tem vida em meu mundo exceto que eu tenha consciência de você. Você está enraizado em mim e, como um fruto, dá o testemunho da videira que eu sou. Não há nenhuma outra realidade no mundo que não seja sua consciência. Embora você possa agora parecer o que não quer ser, tudo o que precisa fazer para mudar isso, e provar a mudança das circunstâncias em seu mundo, é tranquilamente assumir que você é o que agora quer ser, e de uma forma que você desconhece, você se tornará isso.
Não há outra maneira de mudar este mundo. “Eu sou o caminho. ” Minha consciência Eu Sou, minha consciência é o caminho pelo qual eu mudo meu mundo. Conforme eu mudo meu próprio conceito a meu respeito, eu mudo o meu mundo.

Quando homens e mulheres nos ajudam ou nos prejudicam, apenas fazem a parte que nós, por nosso autoconceito, redigimos para eles, e eles jogam automaticamente. Eles precisam atuar como estão fazendo, porque somos o que somos.
Você vai mudar o mundo apenas quando se tornar a personificação daquilo que você quer que o mundo seja. Você tem apenas um presente neste mundo que é verdadeiramente seu para dar, e que é você mesmo. A menos que você mesmo seja o que quer que o mundo seja, você nunca verá isso no mundo. “Por isso vos disse que morrereis em vossos pecados; porque, se não crerdes que eu sou, morrereis em vossos pecados. ” João 8:24.

Você sabe que não há dois nesta sala vivendo no mesmo mundo. Nós estamos indo para casa, para mundos diferentes esta noite. Nós fechamos nossas portas em mundos completamente diferentes. Nós acordamos de manhã e vamos para o trabalho, onde nos encontramos uns com os outros, e conhecemos pessoas, mas vivemos em mundos mentais diferentes, diferentes mundos físicos.
Eu apenas posso oferecer o que eu sou, eu não tenho outra dádiva a oferecer. Eu quero que o mundo seja perfeito, e quem não quer, eu falhei apenas porque não sabia que nunca poderia vê-lo perfeito até que eu me tornasse perfeito. Se eu não sou perfeito não posso ver perfeição, mas no dia que me torno isso, eu embelezo meu mundo porque eu vejo perfeição através dos meus olhos. "Ao puros todas as coisas são puras". Tito 1:15.

Não há duas pessoas aqui que possam me dizer que ouviram a mesma mensagem em qualquer noite. A única coisa que você deve fazer é ouvir o que eu digo através daquilo que você é. Isso deve ser filtrado através de seus preconceitos, suas superstições, e seu autoconceito.
Qualquer coisa que você seja, deve vir através disso, e ser colorido pelo que você é.

Se você está confuso e gostaria que eu fosse diferente do que eu pareço ser, então você deve ser o que quer que eu seja. Nós devemos nos tornar o que queremos que os outros sejam ou nunca os veremos ser assim.
Sua consciência, minha consciência, é a única verdadeira fundação no mundo. Isso é o que é chamado Pedro na Bíblia, não o homem, essa fidelidade que não pode se tornar qualquer pessoa, que não pode ficar lisonjeado quando lhe é dito pelos homens que você é João que voltou novamente.

É muito lisonjeiro dizer que você é João o Batista que veio novamente, ou o grande Profeta Elias, ou Jeremias.
Então eu ensurdeço meus ouvidos a esses muito lisonjeiros homens de notícias, que iriam me dar algo, e pergunto a mim mesmo, “Mas honestamente, quem sou eu? ”
Se eu puder negar as limitações do meu nascimento, meu ambiente, e a crença de que eu sou apenas a extensão da minha árvore genealógica, e sentir dentro de mim mesmo que eu sou Cristo, e manter esta suposição até que ele tenha um lugar central e forme o centro habitual da minha energia, eu irei fazer as obras atribuídas a Jesus. Sem pensamento ou esforço eu moldarei um mundo em harmonia com a perfeição que eu assumi e senti brotando dentro de mim.

Quando abro os olhos dos cegos, desobstruo os ouvidos dos surdos, dou alegria aos enlutados, e beleza para cinzas, então e só então, que eu verdadeiramente demonstro esta videira profundamente dentro. Isto é o que eu automaticamente deveria fazer, se eu fosse realmente consciente de ser Cristo. Diz-se de sua presença, Ele provou que Ele era o Cristo por Suas obras.
Nossas alterações ordinárias de consciência, à medida que passamos de um estado para outro, não são transformações, porque cada uma delas é tão rapidamente sucedida por outra no sentido inverso; mas sempre que a nossa pretensão crescer tão estável quanto a expulsar definitivamente seus rivais, então, esse conceito habitual central define o nosso caráter e é uma verdadeira transformação.

Jesus, ou a razão iluminada, não viu nada impuro na mulher apanhada em adultério. Ele disse a ela, “Ninguém te condenou? ”João 8:10.
E ela disse: Ninguém, Senhor. E disse-lhe Jesus: Nem eu também te condeno; vai-te, e não peques mais” João 8:11.
Não importa o que é trazido diante da presença de beleza, que só vê beleza. Jesus estava tão completamente identificado com o belo que ele era incapaz de ver o desagradável.

Quando você e eu realmente nos tornamos conscientes de ser Cristo, também iremos endireitar os braços da secura, e ressuscitar as esperanças mortas dos homens. Vamos fazer todas as coisas que não poderíamos fazer enquanto nos sentimos limitados pela nossa árvore genealógica. É um passo ousado e não deve ser dado levianamente, porque fazer isso é morrer.
João, o homem de três dimensões é decapitado, ou perde seu foco tridimensional para que Jesus, o quadri-dimensional Ser possa viver. Qualquer ampliação de nosso Autoconceito envolve um pouco de dolorosa separação com os fortes conceitos enraizados de nossas concepções hereditárias. Os ligamentos são fortes e nos mantém no ventre das limitações convencionais.

Tudo o que acreditava anteriormente, já não acredita mais. Você sabe agora que não há poder fora da sua própria consciência. Portanto, você não pode se voltar a qualquer pessoa fora de si mesmo.
Você não tem ouvidos à sugestão de que algo mais tem poder. Você sabe que a única realidade é Deus, e Deus é sua própria consciência. Não há outro Deus. Portanto sobre esta pedra você constrói a igreja eterna e corajosamente assume que você é este Ser Divino, autogerado porque você se atreveu a se apropriar daquilo que não foi dado a você em seu berço, um conceito de Si que não foi formado no ventre de sua mãe, um conceito de Si concebido fora das estâncias do homem.

A história é lindamente contada na Bíblia usando os dois filhos de Abraão: um bem-aventurado, Isaque, nascidos fora das obrigações do homem e o outro, Ismael, nascido em cativeiro.

Sara estava muito velha para gerar uma criança, então seu marido Abraão foi até sua serva Agar, o peregrino, e ela concebeu do velho homem e lhe deu um filho chamado Ismael. A mão de Ismael era contra todos e a mão de todos contra ele.
Cada criança que nasce de uma mulher nasce em cativeiro, nasce dentro de tudo o que seu ambiente representa, independentemente de ser o trono da Inglaterra, a Casa Branca, ou qualquer lugar importante no mundo. Cada criança que nasce da mulher é personificada como este Ismael, o filho de Agar.

Mas adormecido em cada criança é o bendito Isaque, nascido fora das obrigações do homem, e nasce por meio da fé. Esta segunda criança não tem pai terreno. Ele é Autogerado.
O que é o segundo nascimento? Encontro-me homem, eu não posso voltar para o ventre de minha mãe, e eu ainda devo nascer uma segunda vez. “Aquele que não nascer de novo, não pode entrar no reino de Deus." João 3: 3.
Eu calmamente me aproprio do que nenhum homem pode me dar, nenhuma mulher pode me dar. Atrevo-me a supor que eu sou Deus. Isto deve ser de fé, isso deve ser da promessa. Então eu me tornei o abençoado, eu me torno Isaque.

Quando eu começo a fazer as coisas que só esta presença poderia fazer, eu sei que nasci fora das limitações de Ismael, e eu devo me tornar o herdeiro do reino. Ismael não poderia herdar nada, embora seu pai fosse Abraão, ou Deus.
Ismael não têm ambos os pais divinos; sua mãe era Agar, a mulher escrava, e por isso ele não poderia participar da propriedade de seu pai.
Você é Abraão e Sara, e contido dentro de sua própria consciência há alguém à espera de reconhecimento. No Antigo Testamento é chamado Isaque, e no Novo Testamento é chamado Jesus, e nascem sem o auxílio do homem.
Ninguém pode dizer a você que você é Jesus Cristo, ninguém pode falar com você e convencê-lo de que você é Deus. Você deve se ocupar levemente da ideia e se maravilhar com o que seria como ser Deus.

Nenhuma concepção clara da origem dos fenômenos é possível, exceto que a consciência é tudo e tudo é consciência.
Nada pode se desenvolver do homem que não foi potencialmente desenvolvido em sua natureza. O ideal que apresentamos e esperarmos atingir nunca poderia ser desenvolvido a partir de nós se não fosse potencialmente desenvolvido em nossa natureza.
Deixa-me recontar e enfatizar uma experiência gravada por mim há dois anos sob o título, A BUSCA. Eu penso que isso vai ajudar você a entender esta lei de consciência, e mostrar que você não tem ninguém para mudar senão a si mesmo, pois você é incapaz de ver o que não seja o conteúdo de sua própria consciência.

Certa vez em um ocioso intervalo no mar, eu meditei no “estado perfeito”, e perguntei o que eu seria se estivesse de olhos muito puros para ver a iniquidade, se para mim todas as coisas fossem puras e eu estivesse sem julgamentos. Conforme eu ficava perdido nesta ardente reflexão, eu me encontrei elevado acima do ambiente escuro dos sentidos. Tão intenso o que estava sentindo, que era como um ser de fogo que habita em um corpo de ar. Vozes, a partir de um coro celestial, com a exaltação dos que tinham sido vencedores, em um conflito com a morte, estavam cantando, "Ele ressuscitou - Ele se levantou", e intuitivamente, eu sabia o que eles queriam me dizer.

Então eu parecia estar andando no meio da noite.

Logo me veio uma cena que poderia ter sido o antigo tanque de Betesda pois neste lugar jazia grande multidão de pessoas impotentes - cegos, mancos e mirrados - não esperando o movimento da água como na tradição, mas esperando por mim.
Conforme eu cheguei perto, sem pensamento ou esforço da minha parte, eles foram um após o outro, moldados pela Magia da Beleza. Olhos, mãos, pés - todos os membros perdidos – eram retirados de algum reservatório invisível e moldados em harmonia com a perfeição que eu senti brotando dentro de mim. Quando todos foram aperfeiçoados o coro exultou: "Está consumado". Eu sei que esta visão foi o resultado de minha meditação intensa sobre a ideia de perfeição, pois as minhas meditações, invariavelmente, trazem união com o estado contemplado. Eu tinha sido tão completamente absorvido dentro da ideia que por um tempo eu tinha me tornado o que eu contemplava, e o elevado propósito que eu tinha naquele momento me identificado, atraiu a companhia de coisas elevadas e moldou minha visão em harmonia com a minha natureza interior.
O ideal com o qual estamos trabalhando unidos por associação de ideias, despertam mil maneiras para criar um drama de acordo com a ideia central.

Minhas experiências místicas me convenceram que não há nenhuma maneira de trazermos a perfeição que buscamos a não ser pela nossa própria transformação. Assim que conseguirmos transformar a nós mesmos, o mundo vai derreter magicamente diante de nossos olhos e remodelar-se em harmonia com o que a nossa transformação afirma.
Nós moldamos o mundo que nos rodeia pela intensidade da nossa imaginação e sentimento, e nós iluminamos ou escurecemos as nossas vidas pelos conceitos que temos de nós mesmos. Nada é mais importante para nós do que o conceito que temos de nós mesmos, e sobretudo é verdadeiro devido ao nosso conceito do profundo, dimensionalmente grande Eu dentro de nós.

Aqueles que nos ajudam ou nos prejudicam, saibam eles disso ou não, são os serventes da lei que molda as circunstâncias externas em harmonia com nossa natureza interior. É o conceito que temos a nosso respeito que nos prende ou liberta, embora utilize agentes materiais para atingir esse propósito. Porque a vida molda o mundo exterior para refletir o arranjo interior de nossas mentes, não há nenhuma maneira de trazer a perfeição exterior que buscamos, que seja diferente da transformação em nós mesmos. Sem socorro que venha de fora: as colinas para as quais nós levantamos nossos olhos são as de um alcance interno.
É, portanto, a nossa própria consciência que devemos transformar como a única realidade, a única fundação na qual todos os fenômenos podem ser explicados. Podemos confiar absolutamente na justiça desta lei para dar-nos apenas aquilo que é da natureza de nós mesmos.
Tentar mudar o mundo antes de mudarmos nosso conceito a nosso respeito é lutar contra a natureza das coisas. Não pode haver nenhuma mudança externa até que haja primeiro uma mudança interior.
Como é dentro, será fora.

Não estou defendendo indiferença filosófica quando sugiro que devemos nos imaginar como já o que queremos ser, vivendo em uma atmosfera mental de grandeza, em vez de usar meios físicos e argumentos para trazer as mudanças desejadas.
Tudo o que fazemos, sem o acompanhamento de uma mudança de consciência, é apenas reajuste fútil de superfícies.
Por mais que trabalhemos duramente ou lutemos, não podemos receber mais que afirma o conceito que temos a respeito de nós mesmos. Protestar contra algo que está nos acontecendo é protestar contra a lei de nosso ser ou o navio governante sobre nosso destino.

As circunstâncias da minha vida estão intimamente relacionadas com a concepção de mim mesmo, e não por terem sido formadas pelo meu próprio espírito, a partir de algum dimensionalmente grande celeiro de meu ser. Se houver dor para mim nestes acontecimentos, eu devo procurar dentro de mim pela causa, pois eu sou movido aqui e ali e feito para viver em um mundo em harmonia com o conceito que tenho de mim mesmo.
Se quisermos nos tornar tão emocionalmente despertos sobre as ideias de como nos tornamos mais de nossos desgostos, deveríamos ascender ao plano de nosso ideal tão facilmente como descemos para nível de nossos ódios.
Amor e ódio tem um mágico poder transformador, e crescemos através de seu exercício à semelhança do que contemplamos.

Pela intensidade do ódio criamos em nós mesmos o personagem que imaginamos em nossos inimigos. Qualidades morrem por falta de atenção, então condições desagradáveis poderiam ser melhor apagadas imaginando “beleza para cinzas e alegria para tristeza” ao invés de ataques diretos sobre a situação a partir do qual poderíamos ser livres.
"Tudo o que é amável e de boa fama, nisso pensai" para nos tornarmos aquilo com o que estamos em harmonia.
Não há nada para mudar, exceto o nosso conceito de si mesmo. Assim que conseguirmos transformar a nós mesmos, o mundo vai derreter magicamente diante de nossos olhos e remodelar-se em harmonia com o que a nossa transformação afirma.

Eu, por descer em consciência, trouxe a imperfeição que eu vejo. Na organização divina, nada está perdido. Não podemos perder nada salvo pela descida na consciência da esfera onde a coisa tem a sua vida natural.
“E agora, glorifica-me tu, ó Pai, junto de ti mesmo, com aquela glória que tinha contigo antes que o mundo existisse. ”João 17:5
Conforme eu ascender em consciência o poder e a glória que eram minhas retornam para mim, e eu também direi “Eu terminei a obra que tu me deste para fazer”. A obra é retornar de minha descida em consciência, a partir do nível onde eu acreditava ser filho do homem, para a esfera onde eu sei que eu sou um com meu Pai e meu Pai é Deus.

Eu sei, além de qualquer dúvida, que não há nada para o homem fazer, exceto mudar seu próprio conceito de si mesmo, para assumir a grandeza e sustentar essa pretensão. Se andarmos como se já fôssemos o ideal que servimos, nós nos elevamos ao nível de nossa pretensão, e encontramos o mundo em harmonia com ele. Nunca teremos que levantar um dedo para fazer isso assim, pois já é assim. Sempre foi assim.
Você e eu temos descido em consciência até o nível no qual nos encontramos agora, e nós vemos imperfeições porque nós descemos! Quando começamos a ascender enquanto estamos aqui neste mundo de três dimensões, nós descobrimos que nos movemos em um ambiente totalmente diferente enquanto ainda vivemos aqui. Nós conhecemos o grande mistério da declaração: "Eu estou no mundo, mas não sou dele."
Ao invés de mudar as coisas, eu sugeriria a todos se identificarem com o ideal que contemplam.

Qual seria a sensação de ser, onde você tivesse olhos tão puros para observar a iniquidade, se para você todas as coisas fossem puras e você estivesse sem críticas? Contemple o estado ideal e se identifique com isso, e ascenderá até a esfera onde você, como o Cristo, tem sua vida natural. Você ainda está nesse estado onde estava antes que o mundo existisse. A única coisa que caiu é o seu conceito de si mesmo.
Você vê as peças quebradas que realmente não estão quebradas. Você as vê através de olhos distorcidos, como se estivesse em um destes parques de diversão, onde um homem caminha em frente a um espelho e é alongado, embora seja o mesmo homem. Ou ele olha para outro espelho e fica grande e gordo. Essas coisas são vistas hoje em dia porque o homem é o que ele é.

Brinque com a ideia de perfeição. Não peça ajuda a ninguém, mas deixe a oração do capítulo 17 do Evangelho de São João ser a sua oração. Aproprie-se do estado que era seu antes do mundo ser.
Compreenda a verdade na declaração: “Nenhum deles se perdeu, a não ser aquele que estava destinado à perdição”. Nada está perdido em todo meu Santo Monte.
A única coisa que você perde é a crença na perda ou o filho da perdição.
Em favor deles eu me santifico, para que também eles sejam santificados pela verdade. ” João 17:19

Não há nada a ser mudado exceto você mesmo. Tudo o que precisa fazer para que homens e mulheres sejam santificados neste mundo é fazer de você mesmo um santo. Você é incapaz de ver qualquer coisa que é desagradável, quando você estabelece dentro do olho da sua própria mente o fato de que você é agradável.
É muito melhor saber isso do que saber qualquer outra coisa no mundo. É preciso coragem, coragem sem limites, porque muitos nesta noite, depois de terem ouvido esta verdade, ainda vão estar inclinados a culpar os outros por sua situação. O homem acha tão difícil mudar a si mesmo, para sua própria consciência ser a única realidade. Ouça estas palavras:

“Nenhum homem pode vir a mim, se o Pai que me enviou não o trouxer. ” João 6:44
“Eu e o Pai somos um” João 10:30
"Um homem não pode receber coisa alguma, se não lhe for dada do céu." João 3:27
"Por isto o Pai me ama, porque dou a minha vida, para que eu possa levá-la novamente. Ninguém ma tira de mim, mas eu de mim mesmo a dou. ” João 10:17,18
"Você não me escolheu, eu vos escolhi a vós." João 15:16

Meu conceito a meu respeito molda um mundo em harmonia com ele, e atrai os homens para me dizerem constantemente, pelo seu comportamento, quem eu sou.
A coisa mais importante neste mundo para você é o conceito que tem de si mesmo. Quando você não gosta de seu ambiente, das circunstâncias da vida e do comportamento dos homens, pergunte-se: “Quem eu sou? ” A resposta a esta questão é a causa de seus desgostos.
Se você não condena a si mesmo, não haverá homem em seu mundo para condená-lo.
Se você está vivendo na consciência do seu ideal, não verá nada para condenar. "Para os puros todas as coisas são puras."

Agora eu gostaria de passar um pouco de tempo fazendo tão claramente o que faço quando oro, o que eu faço quando quero trazer mudanças para o meu mundo. Você vai achar isso interessante, e vai descobrir que isto funciona. Ninguém aqui pode me dizer que não consegue fazer isso. É muito simples, todos conseguem fazer.
Nós somos o que imaginamos que somos.
Não é difícil seguir esta técnica, mas você deve querer isso. Você não deve abordá-la com a seguinte atitude na mente: “ Oh, bem, eu vou tentar isso”. Você deve querer fazer isso, porque a mola mestra da ação é o desejo.
Desejo é a mola mestra da ação. Agora, o que eu quero? Eu devo definir meu objetivo. Por exemplo, suponha que eu queria agora estar em outro lugar. Neste momento eu realmente desejo estar em outro lugar. Eu não preciso passar pela porta, não preciso sentar. Eu não preciso fazer nada exceto ficar justamente onde estou e, com meus olhos fechados, assumir que estou realmente onde desejo estar. Então, eu permaneço neste estado até ele ter a sensação de realidade. Fosse eu agora a outros lugares, não poderia ver o mundo como agora o vejo a partir daqui.

O mundo muda em sua relação comigo conforme eu mudo minha posição no espaço. Então eu fico aqui mesmo, fecho meus olhos, e imagino que estou vendo o que eu veria se estivesse lá. Eu permaneço nisso tempo suficiente para sentir como real. Eu não posso tocar as paredes daquela sala a partir daqui, mas quando você fecha seus olhos e começa a se tornar o que pode imaginar e sentir, você toca isso. Você pode ficar onde está e imaginar que está colocando sua mão na parede. Para provar que você realmente está lá, ponha sua mão na parede e deslize para cima e sinta a madeira. Você pode imaginar-se fazendo isso sem sair de sua cadeira.
Você pode fazer e vai realmente sentir isso, sempre que se torna o suficiente e intensamente suficiente.

Eu fico onde estou e permito o mundo que eu quero ver, entro fisicamente para que venha diante de mim como se eu estivesse lá agora. Em outras palavras, eu trago qualquer lugar aqui assumindo que eu estou lá.
Isso está claro? Eu deixo isso vir, eu não faço vir. Eu simplesmente imagino que eu estou lá e então deixo que aconteça.
Se eu quero a presença física, eu imagino que ele está aqui, e eu o toco. Por toda a Bíblia eu encontro estas sugestões, “ELE pousou suas mãos sobre eles. ELE os tocou. ”

Se quiser confortar alguém, qual é o sentimento automático? Colocar sua mão sobre a pessoa, você não pode resistir a isso. Você encontra um amigo e a mão vai automaticamente, vocês se cumprimentam com um aperto de mão ou você coloca sua mão sobre o ombro dele.
Suponha que foi agora encontrar um amigo que você não via há um ano, e ele é um amigo muito querido. O que você faria? Iria abraçá-lo, não iria? Ou você colocaria sua mão sobre ele.
Em sua imaginação traga seu amigo perto o bastante para pôr sua mão sobre ele e o sentir, solidamente real. Restrinja a ação a apenas isso.
Você vai ficar maravilhado com o que acontece.

A partir de então as coisas começam a se mover. Seu eu dimensionalmente maior vai inspirar, tudo, as ideias e ações necessárias para trazer você até o contato físico. Isso funciona desta forma.
Todos os dias eu me coloco no estado de adormecimento; isso é muito fácil de fazer. Mas hábito é uma coisa estranha no mundo dos homens.
Não é uma lei, mas o hábito atua como se fosse a lei mais convincente no mundo. Nós somos criaturas de hábito.
Se você criar um intervalo todos os dias no qual se colocar no estado de adormecimento, diga que às 3 horas da tarde, você sabe que naquele momento, todos os dias você vai se sentir sonolento. Experimente por uma semana e veja se eu não estou certo.

Você deve se sentar com o propósito de criar um estado semelhante ao sono, como se estivesse dormindo, mas não mova a sonolência para longe demais, apenas o suficiente para relaxar e o deixar no controle da direção de seus pensamentos. Tente isso por uma semana, e todos os dias no mesmo horário, não importa o que esteja fazendo, você dificilmente será capaz de manter seus olhos abertos. Se você sabe de um horário em que estará livre, pode criar isso. Eu sugiro que não faça levianamente, porque vai se sentir muito, muito sonolento, e você pode não querer.
Eu tenho outra forma de rezar. Neste caso eu sempre me sento e encontro a poltrona mais confortável que se possa imaginar, ou me deito de costas e relaxo completamente.
Sinta-se confortável. Você não deve ficar em uma posição onde o corpo se sinta angustiado. Sempre se coloque em uma posição onde você tenha grande conforto. Esse é o primeiro estágio.

Saber o que se quer é o início da oração. Em seguida você constrói em seus olhos mentais um único evento que significa que você realizou seu desejo. Eu sempre deixo minha mente vagar sobre muitas coisas que poderiam significar minha oração respondida, e eu destaco um que seja o mais parecido com a realização de meu desejo.  Uma coisa simples como um aperto de mãos, abraçar uma pessoa, receber uma correspondência, escrever um cheque, ou qualquer coisa que implica a realização de seu desejo.
Depois de ter decidido qual ação implica que seu desejo foi realizado, então, sente-se em sua maravilhosa e confortável poltrona ou deite de costas, feche seus olhos, pelo simples motivo de isso ajudar a induzir o estado próximo ao sono.
No momento que sentir esse adorável estado sonolento, ou o sentimento de tudo estar reunido, em que você sente – eu poderia me mover se eu quisesse, mas eu não quero, eu poderia abrir meus olhos se eu quisesse, mas eu não quero. Quando você alcança este sentimento pode ter a certeza de que está no perfeito estado para orar com sucesso. Neste sentimento é fácil atingir qualquer coisa no mundo. Você pega a simples e restrita ação que implica a realização de sua oração e a sente, ou decreta isso.

Seja o que for, você entra na ação como se fosse um ator em uma peça de teatro. Você não deve se sentar e se visualizar fazendo isso. Você faz isso.
Com o corpo imobilizado você imagina que o seu Eu maior dentro de seu corpo físico está vindo para fora e que você está realmente realizando a ação proposta. Se você está indo caminhar, imagine que você está caminhando. Não veja a si mesmo caminhando, SINTA que está caminhando.
Se você está indo subir escadas, SINTA que está subindo as escadas. Não visualize a si mesmo fazendo isso, sinta-se fazendo isso. Se estiver apertando a mão de um homem, não visualize você mesmo apertando a mão, imagine seu amigo parado na sua frente e aperte sua mão. Porém deixe suas mãos físicas imobilizadas e imagine sua mão maior, que é sua mão imaginária que está, na verdade, apertando a mão dele.

Tudo o que precisa fazer é imaginar que você está fazendo isso. Você está alongado no tempo, e o que está fazendo, e que se parece com um sonho controlado, é uma ação real na maior dimensão de seu ser. Você está na realidade, encontrando um evento de quarta dimensão e antes de encontrá-lo aqui, nas três dimensões do espaço; e você não tem que levantar um dedo para fazer esse estado a acontecer.

Minha terceira forma de rezar é simplesmente sentir gratidão. Se eu quero algo, para mim ou para outra pessoa, eu imobilizo o corpo físico, então eu produzo o estado próximo ao sono e neste estado eu apenas sinto felicidade, sinto gratidão, sendo que gratidão implica na realização do que eu quero. Eu assumo o sentimento do desejo realizado e com minha mente dominada por essa simples sensação eu vou dormir. Não preciso fazer mais nada além disso, porque isso é tudo. Meu sentimento de desejo realizado implica que isso está feito. 

Todas essas técnicas você pode usar e modificar de acordo com seu temperamento. Mas eu enfatizo a necessidade de induzir ao estado de sonolência, onde você pode se tornar atencioso sem esforço. A única sensação domina a mente, se você orar com sucesso.
O que eu deveria sentir, agora, eu fui o que eu quero ser? Quando eu sei qual sentimento deveria ser, eu então fecho meus olhos e me perco nesta simples sensação e meu Eu dimensionalmente maior então constrói a ponte de circunstância para me levar deste momento presente para a realização de meu estado de espírito. Isso é tudo o que precisa fazer. Mas as pessoas têm o hábito de desprezar a importância das pequenas coisas.
Nós somos criaturas de hábitos e estamos aprendendo devagar a abandonar nossos conceitos anteriores, mas as coisas que nós vivemos anteriormente, ainda podem influenciar nosso comportamento. Aqui está uma história da Bíblia que ilustra meu ponto.

Está registrado que Jesus disse aos seus discípulos para irem até um cruzamento e lá iriam encontrar um potro, um potro jovem ainda não montado por um homem.  Deveriam trazer o potro até ele e se algum homem perguntasse, “Por que estão levando esse potro? ”, deveria dizer, “Por que o Mestre está precisando dele. “
Eles foram até o cruzamento e encontraram o potro e fizeram exatamente como foi explicado a eles. Trouxeram o descontrolado jumento para Jesus e ele o montou triunfalmente em Jerusalém.

A história não tem nada a ver com um homem montando um pequeno potro. Você é Jesus na história. O potro é o estado de espírito que está assumindo. Esse é o animal vivo ainda não montado por você. Qual seria a sensação de ser como se tivesse realizado o seu desejo? Um novo sentimento, como um potro jovem, é muito difícil de montar a menos que você o faça com a mente disciplinada. Se eu não permanecer fiel ao estado de espírito, o potro jovem me joga para fora. Toda vez que você se tornar consciente de que não está sendo fiel a este estado de espírito, você terá sido jogado para fora do potro.

Discipline sua mente, de que pode permanecer fiel a esse elevado estado de espírito e cavalgue triunfante para dentro de Jerusalém, que é a realização, ou cidade da paz.
Esta história precede a festa de Páscoa. Se quisermos passar de nosso presente estado interior para o do nosso ideal, devemos assumir que já somos o que desejamos ser e permanecermos fiéis à nossa pretensão, pois devemos manter um alto estado de espírito se quisermos caminhar com o elevado.
Uma atitude fixa da mente, o sentimento que isso está feito fará isso acontecer. Se eu caminhar como se isso já fosse, mas de vez em quando eu olhar para ver se isso realmente é, então eu caio no meu estado de espírito, ou do potro.

Se eu suspender o julgamento como fez Pedro, eu poderia caminhar sobre a água. Pedro começa a andar sobre a água, e então ele começa a olhar para sua própria compreensão, e começa a afundar. A voz diz, “Olhe para cima, Pedro”. Ele olha para cima e sobe novamente, e continua a caminhar sobre a água. 
Ao invés de olhar para baixo para ver se essas coisas estão realmente se cristalizando na realidade, você simplesmente sabe que elas já estão, sustente este estado de espírito e você irá montar o jumento desenfreado para dentro da cidade de Jerusalém. Todos nós devemos aprender a montar o animal, direto até Jerusalém, sem ajuda de ninguém. Você não precisa que outros o ajudem.

A coisa mais estranha é que conforme mantemos o elevado estado de espírito e não caímos, os outros amortecem os golpes. Eles espalham as folhas de palmeira à minha frente para suavizar e amortecer minha jornada. Eu não preciso me preocupar. Os golpes serão suavizados conforme eu me movo para a realização de meu desejo. Meu elevado estado de espírito desperta nos outros, ideias e ações que tendem para a personificação de meu estado de espírito. Se você caminhar fiel a um elevado estado de espírito, não haverá oposição ou competição.
O teste de um professor, ou de um ensinamento, encontra-se na fidelidade do estudante. Eu estou deixando aqui nesta noite de domingo. Permaneça fiel a esta instrução. Se procurar por causas externas da consciência humana, então eu não o terei convencido da realidade da consciência.
Se procurar por desculpas para os fracassos, você sempre irá encontrá-las, pois você encontra o que procura. Se você procurar uma desculpa para o fracasso, você vai encontrá-la nas estrelas, nos números, no copo de chá, ou em qualquer lugar. A desculpa não vai estar lá, mas você vai encontrá-la para justificar o seu fracasso.

Homens e mulheres de sucesso profissional e nos negócios sabem que essa lei funciona. Você não vai encontrar isso nos grupos de fofocas, mas irá encontrar nos corações corajosos.
A eterna jornada do homem é para um propósito: revelar o Pai. Ele vem para tornar visível o seu Pai. E seu Pai, torna-se visível em todas as coisas lindas deste mundo. Todas as coisas que são adoráveis, o que é de boa fama, cavalgue sobre estas coisas, e não tenha tempo para o desagradável neste mundo, independentemente do que seja.
Permaneça fiel ao conhecimento para que sua percepção, seu Eu Sou, sua consciência de ser, desperte para a única realidade. Esta é a rocha sobre a qual todos os fenômenos podem ser explicados. Não há outra explicação além desta.

Sei que não há concepção clara sobre a origem do fenômeno, salvo que consciência é tudo e tudo é consciência. O que você procura já está alojado dentro de você. Se não fosse agora dentro de você, a eternidade não poderia evoluir. Nenhum intervalo de tempo seria suficientemente longo para evoluir o que não estivesse potencialmente envolvido em você.
Deixe isso simplesmente à existência, assumindo que já está visível em seu mundo, e permaneça fiel à sua pretensão. Ele irá cristalizar na realidade. Seu Pai possui inumeráveis caminhos para revelar seu desejo. Grave isso em sua mente e sempre se lembre, “Uma suposição, embora falsa, se sustentada vai cristalizar na realidade. "

Você e seu Pai são um e seu Pai é tudo o que já foi e tudo o que será.
Portanto o que você procura, você já é, nunca pode ser tão longe ou até mesmo para estar perto, pois proximidade implica separação.
A grande Pascal diz, “Você nunca teria me procurado se já não tivesse me encontrado”. O que você deseja agora você já tem, e só o procura porque já encontrou. Encontrou-o na forma de desejo. É tão real na forma de desejo, como vai ser a seus órgãos corporais.
Você já é o que procura e você não tem que mudar ninguém, exceto Você mesmo, a fim de expressar isso.


PERÍODO DE SILÊNCIO… (Imaginando)
Fim da quarta aula.


Neville Goddard
Tradução: Adri Silveira